Fato Real
Destaque Política

CPI: Prefeito reafirma tranquilidade e nega desgaste político

Em entrevista à jornalista Gina Costa no “Jornal Falado Carijós” na manhã desta segunda-feira (03/05), Mário Marcus (DEM) manteve o discurso de tranquilidade diante da criação de uma Comissão de Investigação Parlamentar (CPI) para investigar o transporte público coletivo na cidade.

O prefeito reiterou que o Executivo Municipal não foi omisso na resolução do problema e fez todas as notificações cabíveis. Apesar de afirmar que a Viação Presidente terá de pagar multa pelo descumprimento de cláusulas contratuais, quando foi questionado diretamente quantas multas já foram pagas, não houve uma resposta direta do valor/ apenas que a empresa vai ter que pagar.

Desgaste político

Oito vereadores assinaram o requerimento que cria a CPI
Oito vereadores assinaram o requerimento que cria a CPI

Mesmo com oito 8 assinaturas entre os 13 vereadores, Mário Marcus disse não ver desgaste político na situação. “Se tivesse alguma coisa errada porque os vereadores, estes antigos inclusive,  não fizeram esta CPI na gestão passada? Se tivesse alguma inércia como foi colocado… Estavam lá, já poderiam ter instalado esta CPI”, argumentou.

Mário Marcus aponta que poderia haver outra solução, sem que a abertura da CPI fosse necessária:  “Poderiam ter montado uma comissão, com quatro vereadores e teriam acesso ao prefeito todos eles. E buscado as informações todas. Todas elas estão disponíveis para qualquer um que quiser ver. O prefeito está tranquilo de que não houve nenhum ato ilícito, nenhum ato irregular, nenhum ato de administração que possa comprometer o prefeito ou comprometer a administração”.

Licitação

Para prefeito CPI atrapalha a vinda de empresa de ônibus para a cidade
Para prefeito CPI atrapalha a vinda de empresa de ônibus para a cidade

Segundo o mandatário, o projeto da licitação irá prever melhorias em relação ao que era prestado pela Viação Presidente. Algumas das mudanças citadas pelo prefeito são: mais linhas, frota maior e a possibilidade de uso de aplicativo de celular para acompanhar o trajeto dos ônibus.

“Nós publicamos na sexta-feira (30/04) um novo edital, mandamos um projeto de lei para a Câmara com algumas situações um pouco mais atrativas […] para que alguma empresa possa assumir em caráter emergencial o transporte até que se conclua a licitação”.

Nas publicações anteriores nenhuma empresa manifestou desejo na exploração do serviço.

Crítica

Na última sexta-feira, o vereador Oswaldo Barbosa (PV) publicou uma carta aberta à população de Lafaiete em que explica seu voto contrário à abertura da CPI. Segundo o membro da Casa Legislativa, dificilmente uma empresa assumirá o transporte coletivo de uma cidade onde a Câmara acaba de instaurar uma CPI contra o Executivo. O prefeito Mário Marcus reitera a posição do vereador: “Infelizmente alguns vereadores, ás vezes, pensam mais na questão de mostrar nas redes sociais e para mídia que estão apurando ao instaurar uma CPI e não buscam a solução. Hoje nós estamos em um momento delicado e precisamos estar todos juntos, unidos, lutando para que possamos estar enfrentando e solucionando os problemas de Conselheiro Lafaiete”.

Fato Real