Fato Real
Gerais Regional

Moradores de Congonhas dão o exemplo e contribuem para o combate ao Aedes aegypti

Combater o Aedes aegypti depende de uma consciência cidadã e de um esforço coletivo! Juntos, o Governo Municipal e a população podem combater a proliferação desse mosquito, que transmite a dengue, a Chikungunya e o Zika Vírus. Em apenas 10 minutos por semana, é possível limpar os principais criadouros e interferir no desenvolvimento do vetor, já que seu ciclo de vida leva de 7 a 10 dias. Essa simples ação impede que ovos, larvas e pupas do inseto cheguem à fase adulta, diminuindo a transmissão das doenças.

Muitos congonhenses estão dando o exemplo e contribuindo para a prevenção e combate ao Aedes aegypti. O morador do Belvedere, Clécio da Costa, coleta a água da chuva, mas mantém o conteúdo em uma caixa d’água vedada. No período chuvoso, ele redobra os cuidados para evitar a proliferação do mosquito. “Minhas plantas não têm o prato e, se têm, coloco areia. Também mantenho o quintal sempre limpo. É preciso manter limpo, porque um simples mosquito, que às vezes achamos que é insignificante, pode até matar. Não é esperar pelo vizinho. É todo mundo se unir e fazer sua parte”, destaca.

Na casa do senhor José Moreira está instalada uma das ovitrampas (armadilhas que ajudam a evitar a proliferação do Aedes aegypti) que o Governo Municipal implantou em diversas residências. O morador do Belvedere limpa seu quintal regularmente e reutiliza os depósitos que poderiam acumular água para cultivar suas plantas e hortaliças. “Enchi os pneus de terra e plantei. Também furo os galões de plástico e encho de terra também para plantar. Tem sempre que ter cuidado. Temos que fazer a nossa parte”, diz.

A prevenção contra o Aedes aegypti deve ser feita com a eliminação de objetos que podem acumular água. Por isso, a população deve manter a caixa d’água sempre limpa e totalmente tampada; fechar tonéis e tanques de armazenamento de água; eliminar os pratinhos de vasos de plantas; manter os bebedouros de animais domésticos limpos e escovados; e manter piscinas sempre em uso e devidamente tratadas; manter as calhas livres de entupimentos para evitar acúmulo de água.

Também é preciso armazenar e destinar o lixo corretamente, mantendo o recipiente sempre fechado. Além disso, não se deve descartar o lixo ou qualquer outro depósito que possa acumular água no quintal de casa ou de vizinhos, na rua e em lotes vagos.

Fato Real