Fato Real
Gerais Regional

Hospitais de Barbacena passam por dificuldades financeiras e podem ter atendimentos comprometidos

AudiênciaPúblicaPRestaçãodeContasSaúdeOs dois principais hospitais de Barbacena passam por momentos difíceis em razão da falta de recursos financeiros que deveriam ser repassados pelo Estado. As informações foram divulgadas durante a prestação de contas da Secretaria Municipal de Saúde e Programas Sociais referente ao 2° quadrimestre de 2018, realizada na quarta-feira (26) na Câmara Municipal. O  Secretário José Orleans confirmou que a situação do Ibiapaba e da Santa Casa é grave . “Há uma dívida importante do Estado com estas instituições (R$ 5,3 milhões com Ibiapaba e R$ 3,3 milhões com a Santa Casa) e com o Município, na ordem de R$ 26 milhões. Esta dívida torna grave o risco destes hospitais fecharem serviços e reduzirem atendimento”.

As duas instituições emitiram notas oficiais sobre o futuro do atendimento:

A SANTA CASA DE MISERICÓRDIA DE BARBACENA informa a toda Sociedade que existem atrasos de repasses de recursos estaduais, no valor superior a R$3.500.00,00 (Três milhões e quinhentos mil reais). Porém, com o atual cenário deficitário que se carreia nesta Instituição, sem receber outros aportes financeiros para subsidiar os serviços prestados pelo SUS, possuindo deficit mensal impactante, clamamos por ajuda. Não temos mais condições de dar continuidade à Assistência Integral de todos os serviços em saúde pactuados, atendendo mensalmente a mais de 8600 usuários, comprometendo o custeio da manutenção das clínicas às quais somos referenciados.

Nossa instituição é referência Macrorregional para 51 Municípios, com cobertura populacional de mais 800.000 habitantes. Possui 132 leitos credenciados aos serviços exclusivos do SUS. É porta de entrada para Obstetrícia e Ginecologia de risco habitual e alto risco, realizando acima de 2640 partos/ano e, ainda, com Pronto Atendimento de Pediatria atingindo uma média de atendimento superior a 4500 crianças/mês. Atendemos a Neurocirurgia de alta complexidade. Propiciamos atendimento de retaguarda para Trauma Cirúrgico em Ortopedia e Cirurgia Geral, totalizando média de 460 cirurgias/mês, entre todas as especialidades. Possuímos duas UTI’s com 20 leitos, destes, 10 para atendimento adulto, 08 para Neonatologia e 02 para Pediatria, com taxa de ocupação em tratamento intensivo ultrapassando 100%. Por fim, prestamos atendimento a usuários em Clínica Médica, Nefrologia e Distúrbios relacionados ao uso de álcool e outras drogas.

Sem apoio do governo do Estado, a Santa Casa poderá ter seus serviços comprometidos. Ajude-nos a ajudar, apoiando-nos neste momento de extrema crise da saúde pública!

CEBAMS, 27/09/2018

Barbacena, 27 de setembro de 2018

Estamos vivendo uma crise sem precedentes no Hospital Ibiapaba CEBAMS. Como é sabido, somos referência para o SUS nas doenças mais graves que atingem nossa população: as doenças cardíacas e o câncer. O que recebemos do SUS não cobre os custos do atendimento dos pacientes, mas o que mais nos pune é o chamado Extrateto. Ele se caracteriza pelo não pagamento dos valores que ultrapassam um teto financeiro definido pelo próprio sistema. Estes pacientes não pagos são enviados ao hospital pelo próprio SUS, são autorizados, auditados, mas simplesmente não são pagos. Estes pacientes representam quase 30% do nosso faturamento não pago desde fevereiro de 2017, portanto há 18 meses. Hoje já são vários fornecedores que não querem nos vender os medicamentos e outros insumos. 

Precisamos do apoio de todos. O Hospital Ibiapaba CEBAMS é um patrimônio da comunidade e é o único certificado pela qualidade de seus serviços na norma internacional ISO 9001:2015. 

Infelizmente, sem a retomada dos pagamentos do chamado Extrateto do SUS, não se vislumbra uma continuidade regular dos atendimentos extras do SUS. Caso não haja a regularização, o Hospital será obrigado a interromper, por tempo indeterminado, alguns atendimentos do SUS em Cardiologia de Alta Complexidade e Oncologia. Nesse estágio de calamidade pública que vem se avizinhando, caso o SUS não pague o valor devido ao Hospital Ibiapaba CEBAMS, só será possível manter nossos atendimentos via SUS para casos extremamente urgentes.

Fonte: Barbacena on Line

 

 

 

Fato Real