Fato Real
Lafaiete Política

Vereadores trocam farpas no plenário da Câmara de Lafaiete

A ligação de rede elétrica para uma residência da vila Madalena, em Gagé, colocou dois integrantes da Câmara Municipal de Conselheiro Lafaiete em rota de colisão.

Chico PauloSem citar nominalmente ninguém o vereador Chico Paulo (PT) fez uso da Palavra Franca, na sessão da última quinta-feira (20/09) para reclamar da falta de ajuda a um  morador, um senhor com mais de 70 anos que vive sozinho na residência, que não tem energia elétrica: “Na semana passada vi a indignação do nosso companheiro João Paulo porque o pessoal anda difamando a Câmara. Mas isso é esperado porque, como diz o ditado, se você tem um saco de batatas em que uma está podre, é preciso tirar ela; senão, todo mundo vai dizer que o saco está podre. Temos em Lafaiete pessoas que estão lutando há cinco anos pra fazer a ligação de luz e não conseguem. E estamos vendo que há perseguição por pessoas da Cemig; isso já aconteceu comigo. No ano passado, foi reivindicada a colocação de quatro postes numa rua da vila Madalena; puseram os postes em novembro, mas desviaram a rede pra outra rua. Isso aí está saindo aqui da Câmara. Essas pessoas deveriam aproveitar a própria influência pra fazer o bem. Quando o vereador vai àquela tribuna e faz o juramento de defender o povo não é pra perseguir o povo”, afirmou Chico Paulo.

O petista acrescentou que, como membro da Comissão de Direitos Humanos do Legislativo lafaietense, apurará os motivos pelos quais até hoje a casa do idoso de Gagé não foi ligada à rede de transmissão de energia elétrica. Chico Paulo acrescentou que desconhecidos invadiram a casa e fizeram ameaças ao morador, razão pela qual pretende acionar órgãos estaduais e federais de defesa dos direitos humanos para intervir na questão.

Vereador SandroO vereador Sandro José (PSDB), que é funcionário da Cemig, ocupou a tribuna após Chico Paulo, evitou aprofundar a polêmica e apresentou justificativas técnicas para o fato de o morador, que se encontra em situação vulnerável em razão da idade avançada e por viver sozinho, ainda estar sem luz elétrica em casa. Sandro aproveitou para informar que a situação já está sendo resolvida: “Tenho 33 anos de Cemig e estamos lá pra ajudar os outros. Infelizmente, este morador fez uma obra muito próxima à rede da Cemig, a menos de sete metros e meio de distância, e é preciso fazer a extensão. Mesmo entendendo esta situação, estivemos reunidos com o prefeito pra discutir a extensão de rede e consta na planilha da Prefeitura a extensão para atender a residência em questão. A gente se solidariza não apenas com este morador, mas com um punhado de gente que passa pelas mesmas dificuldades. Infelizmente, não temos o poder que gostaríamos de ter, como vereador ou como funcionário da Cemig, pra fazer as coisas acontecerem do jeito que devem. Não somos donos da razão, Chico; estamos aqui é pra ajudar os outros. As coisas não são feitas no berro; são feitas na conversa”, afirmou Sandro José.

N.R: Matéria atualizada às 6h45 de 24/09

 

Fato Real