Fato Real
Política

Vereadores justificam voto em projeto de ajuda financeira a empresa de transporte coletivo

As duas sessões extraordinárias realizadas na Câmara Municipal de Lafaiete nesta terça-feira (30/03) seguem repercutindo nos bastidores político. Nas reuniões os vereadores discutiram soluções para a crise do transporte público coletivo que se arrasta no município, que está já há mais de uma semana sem circulação de ônibus.

Durante os encontros, foi aprovado o credenciamento de vans escolares para que elas façam o transporte de passageiros, em substituição ao serviço que não está sendo prestado pela Viação Presidente. A Lei já está publicada no site oficial do município.

Subsídio

No entanto, um dos projetos que mais mexeu com o ânimo dos membros da Casa Legislativa foi a proposta de subsídio financeiro para a empresa que assumir a responsabilidade pela prestação deste serviço na cidade. O valor definido é de R$233.000,00, caso se comprove o déficit tributário, 25% desse valor seria mantido enquanto a cidade estiver em situação de calamidade pública.

A primeira votação deste projeto, ficou empatada com 6 votos à favor e 6 votos contra. Na segunda discussão, no entanto, os vereadores Sandro José (PROS), Pastor Angelino (PP) , Erivelton Jayme (Patriotas) e Vado Silva (DC), que tinham votado contra o projeto, mudaram de postura e votaram favoravelmente, sob alegação que as emendas completaram as lacunas existentes originalmente na proposta.

Contra

O vereador Pedrinho explicou porque votou contra a prefeitura dar aporte financeiro para a empresa que irá explorar o transporte público: “Esse projeto não vai resolver o problema do transporte público em Lafaiete, que é um problema que vem se arrastando há muito tempo e já era pra ter sido resolvido antes. Infelizmente com omissão do prefeito. […] Vai dar meio milhão de reais para essa empresa e esse dinheiro não vai pagar o servidor da Presidente que tem três meses que não recebe. Depois, outro problema: o município vai pagar duas vezes, o funcionário vai entrar na justiça e o município que vai ter que arcar com essa dívida. Foi colocado uma emenda com o dinheiro para pagar os servidores, eu votei contra porque essa emenda o prefeito vai vetar, ela vai voltar para a Câmara e quem garante que os vereadores vão derrubar o veto do prefeito?”

Vereadores discutiram os projetos nesta terça-feira
Vereadores Pedro Américo e Giuseppe Laporte votaram contra o projeto

Giusseppe Laporte em nota enviada ao Fato Real pontuou que um dos motivos para que votasse contra também foi a não solução do problema dos funcionários da Viação Presidente. Ainda segundo o vereador há outras maneiras de remediar o problema: “Com relação às emendas, não poderia deixar de manter a coerência, pois não me parece acertada a utilização de aproximadamente R$ 700.000,00, dinheiro do cidadão lafaietense, para atrair empresas a participar da licitação, havendo outros meios mais adequados, como a redução/isenção de impostos, a melhoria da pavimentação e infraestrutura em geral da cidade, possibilitando que qualquer empresa que venha a prestar o serviço possa prestá-lo de maneira adequada”.

Favorável

Erivelton Jayme defendeu sua mudança de posição nas redes sociais. Segundo o vereador, as mudanças que ocorreram no projeto o convenceram que a proposta era a melhor para a cidade. Um dos pontos mais importantes para a troca de posição de Erivelton foi a emenda que impede que a Viação Presidente se mantenha como titular do transporte público lafaietense.

Fato Real