Fato Real
Política

Prefeitos da região pedem mudanças no Minas Consciente

Foi realizada nesta terça-feira (13/04) em Barbacena, na sede da AMMA – Associação dos Municípios da Mantiqueira, uma reunião que contou com a participação de vários prefeitos e secretários da região. A pauta da reunião foi a redação de uma carta de intenções, que será enviada ao governador do Estado, apontando as necessidades reais dos municípios, que hoje estão passando por grandes dificuldades devido à imposição da Onda Roxa do Plano Minas Consciente.

O Prefeito de Carandaí e presidente da AMMA,  Whashington Gravina,  o Vasiquinho,   disse que o objetivo é buscar um diálogo para permitir que atividades que não geram aglomeração voltem a ser exercidas nos municípios, para que todos possam trabalhar em segurança: “A situação dos Municípios é crítica. Além da nossa preocupação constante com a vida e a saúde de nossos munícipes, estamos vivenciando um momento de muita incerteza devido à queda da arrecadação. Quero deixar bem claro que não estamos afrontando o Governador. Mas precisamos encontrar uma solução em conjunto e tenho certeza que iremos conseguir, com esta união.” afirma. 

Munícipios pretendem dialogar com o governador do estado. Foto: Assessoria de Imprensa da AMMA
Munícipios pretendem dialogar com o governador do estado. Foto: Assessoria de Imprensa da AMMA

 

O Prefeito Vasiquinho, protocolou nesta manhã de quinta-feira (15) junto ao Governo do Estado a carta de intenções firmada pelos prefeitos dos Municípios associados.

O objetivo é a alteração nos protocolos do Plano Minas Consciente, para que todas as atividades econômicas que não geram aglomeração possam ser exercidas nos municípios de nossa microrregião, que tem como pólo a cidade de Barbacena.

Dentre as reivindicações, estão o retorno das atividades de academias, salões de beleza, estudos de tatuagem e, ainda, a permissão de consumo interno nos restaurantes.

De acordo com a carta dos prefeitos da AMMA, as atuais restrições da Onda Roxa não tem apresentado um resultado de diminuição de casos e internações que justifique as dificuldades financeiras enfrentadas pelos profissionais das atividades hoje impedidas de funcionarem.

Além das consequências em cada família prejudicada, a arrecadação dos Municípios tem caído vertiginosamente o que compromete a assistência em todas as áreas de responsabilidade do poder público municipal, inclusive a própria saúde e a concessão de benefícios assistenciais.

Ao final do documento, os prefeitos registram a importância de um maior empenho para acelerar a vacinação da população, afirmando que esta é a única solução para a situação tão grave enfrentada pelos Municípios.

Fato Real