Fato Real
Política

Prefeito de Ouro Branco afirma que é preciso planejar o pós-pandemia

Hélio Campos

O município de Ouro Branco contabiliza 133 casos de Covid-19 desde o início da pandemia. No momento, três pacientes da cidade estão internados em tratamento da doença. Em entrevista ao “Jornal Falado Carijós”, o prefeito Hélio Campos salientou a assertividade das medidas  adotadas até agora no Município e região para reduzir o risco de contágio pelo novo coronavírus: “Tenho plena convicção de que a nossa região tem feito um grande trabalho na área da saúde e a Macrorregião Centro-sul tem sido exemplo para toda Minas Gerais. Isso se deve aos prefeitos das cidades-polo das microrregiões de saúde e da nossa população, que tem mantido o distanciamento social e seguido as recomendações do programa ‘Minas Consciente”.

Mais de 100 mil abordagens foram feitas nas barreiras sanitárias

Hélio Campos explicou por que foram desativadas as barreiras sanitárias montadas nos acesos à cidade: “Em Ouro Branco, 45 dias de barreira sanitária foram suficientes para afastar um pouco o vírus da nossa cidade. Ela foi utilizada justamente no período em que ainda havia mais deslocamentos. Mais de 100 mil pessoas foram abordadas nas nossas barreiras, gente que passa por Ouro Branco ou que mora aqui e trabalha fora. Pudemos utilizar as informações colhidas nas barreiras poderemos planejar o novo normal, já que teremos de conviver por muito tempo ainda com o novo coronavírus”.

Escolas

No encerramento da entrevista, o prefeito de Ouro Branco se posicionou sobre uma questão que merece especial atenção no planejamento pós-pandemia: a reabertura das escolas: “As aulas à distância deverão prosseguir e até se intensificar, coexistindo com as aulas presenciais, já que não será mais possível haver mais de 30 alunos em sala. Será preciso restringir o número de alunos e reestruturar todo o ambiente das escolas para prevenir o ressurgimento da Covid e outras doenças que poderão vir no futuro. Mas acredito que ocorrerá uma mudança de comportamento e todo mundo que tiver um simples resfriado terá a consciência de usar máscara para proteger o outro, diminuindo muito, deste modo, as doenças respiratórias. Vamos diminuir muito o custo dos medicamentos, já que a maior fonte de faturamento da indústria farmacêutica são justamente os remédios para a gripe comum. Este será o novo modo de viver no pós-Covid”, avaliou o prefeito.

Fato Real