Fato Real
Política

Novo Comandante da Aeronáutica iniciou a carreira na EPCAR

Na tarde desta segunda-feira (12/04), aconteceu na Ala 1 – Base Aérea de Brasília, a cerimônia militar de transmissão do cargo de Comandante da Aeronáutica, do Tenente-Brigadeiro do Ar Antonio Carlos Moretti Bermudez, no cargo desde janeiro de 2019, ao Tenente-Brigadeiro do Ar Carlos de Almeida Baptista Júnior. A cerimônia foi presidida pelo Presidente da República, Jair Bolsonaro. O novo comandante iniciou sua carreira, há 46 anos, na Escola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR) em Barbacena.  

Natural de Fortaleza (CE), o Tenente-Brigadeiro Baptista Junior ingressou na Força Aérea Brasileira (FAB) no dia 3 de março de 1975 e foi promovido ao posto de Tenente-Brigadeiro em 31 de março de 2018. Baptista Júnior é filho do Tenente Brigadeiro Carlos de Almeida Baptista, que também foi Comandante da Aeronáutica no período de 1999 a 2003, ele também iniciou sua carreira na EPCAR, e fez parte da primeira turma em 1949.

Batista Jr; começou sua carreira na EPCAR
Batista Jr; começou sua carreira na EPCAR

 Durante a solenidade, o pai comentou sobre o fato: “É o momento mais significativo da minha vida. A gente vive pela família e quando eu vejo um descendente direto meu, depois de ter passado por tantas posições que eu passei, vê-lo agora assumindo a mais relevante posição na carreira, meu peito se enche de orgulho”, declarou à equipe de reportagem do Centro de Comunicação Social da Aeronáutica (CECOMSAER).

O tenente iniciou sua carreira em 1975
O tenente iniciou sua carreira em 1975

No seu discurso de posse, o novo Comandante da Aeronáutica destacou os desafios a serem enfrentados, e comentou que o caminho é a manutenção dos projetos estratégicos já em andamento: “A Força Aérea Brasileira, criada há oitenta anos, é a força armada responsável pela defesa da soberania no nosso espaço aéreo, missão síntese que irá orientar todas as ações, administrativas e operacionais, durante meu comando. A partir do trabalho edificado por aqueles que nos antecederam, seguiremos em nosso processo de evolução contínua, adaptando a estrutura organizacional à estratégia estabelecida, caminhando do possível ao necessário e melhorando nossa eficiência, para que recursos da atividade-meio sejam disponibilizados para o que nos é imprescindível como poder aéreo: os meios pessoais e materiais, representados por nosso efetivo e pelo material necessário ao cumprimento de nossa missão: aeronaves, mísseis, munições, infraestrutura de operação e de controle do espaço aéreo”.

Fonte: Seção de Comunicação Social, por Sgt Júlio Fonseca 

Fotos: CECOMSAER / Sargento Domingos / Sargento Bianca

Fato Real