Fato Real
Política

Ex-procurador da Presidente exime Câmara e atribui crise à gestão municipal

A sessão da Câmara desta terça-feira (04/05) ainda repercute nos meios políticos de Lafaiete. A declaração do vereador André Menezes (PL) que, indiretamente citou Marcos de Paula, ex-candidato a vice-prefeito do município, gerou uma resposta.

Vereador defendeu atuação da Câmara durante a crise
Vereador defendeu atuação da Câmara durante a crise

Defendendo a atuação da Casa Legislativa durante a crise do transporte público, André Menezes foi enfático em atribuir a culpa da situação do serviço em Lafaiete à falhas do Poder Executivo. Nesse momento foi que Marcos de Paula foi citado: “Se ele [o prefeito Mário Marcus] falar que Lafaiete poderia ter sido enganada com proposta de pessoas que pegaram, assumiram a Presidente e venderam um sonho, eu fico até calado. A gente lembra o prefeito de Santos Dumont, uma outra pessoa, que foi candidato à vice do Divino, que assumiu a Presidente chegou a trazer dez ônibus para a Presidente, falando que ia melhorar o transporte. Se ele quiser alegar isso, tudo bem, mas colocar a culpa em nós foi uma atitude covarde […]”

Resposta

Marcos de Paula, que requereu espaço no Fato Real para responder sobre o ocorrido, gravou um vídeo em que responde a citação de André Menezes.

No vídeo, o ex-procurador da Viação Presidente, afirma que ficou pouco tempo na função, tendo assumido o cargo no dia 1° de agosto de 2019 ficando até 31 dezembro do mesmo ano. “Neste curto espaço de tempo, consegui recuperar a credibilidade, a pontualidade e a confiança da população lafaietense. Paguei em dia o salário dos colaboradores, o ticket alimentação, o plano de saúde, o FGTS, o INSS e todos os tributos estaduais, municipais e federais”, afirmou.

Marcos de Paula culpou o prefeito pela crise que Lafaiete enfrenta
Marcos de Paula culpou o prefeito pela crise que Lafaiete enfrenta

Na mesma gravação, Marcos de Paula aponta que em outubro de 2019 ele teve uma reunião com o prefeito Mário Marcus. Durante o encontro, teria sido oferecido um investimento em trinta novos ônibus para a frota do município e, em contrapartida, foi pedida a renovação antecipada da licitação por mais 10 anos, além do aumento de R$ 0,30 (trinta centavos) no preço da passagem. No entanto, a Viação Presidente nunca recebeu a resposta do Poder Executivo. “Ele achou muito boa a proposta e ficou de consultar o procurador do município e me responder. Até o dia de hoje esta resposta não chegou”, disse.

Apesar da resposta ao membro da Casa Legislativa, o ex-procurador exime de culpa a Câmara Municipal de Conselheiro Lafaiete pela crise. Segundo ele, nunca houve negligência dos vereadores com a questão. Inclusive esteve na Casa Legislativa para ser sabatinado e prestar esclarecimentos: “Se existe hoje um responsável, esse responsável é o gestor público, o prefeito Mário Marcus, concluiu”.

Há expectativa que a gravação do ex-candidato a vice-prefeito e ex-procurador da Presidente seja exibida na sessão da Câmara desta quinta-feira (06).

Fato Real