Fato Real
Lafaiete Política

CPI da Covid segue com trabalhos e deve retomar oitivas

Vereadores que integram a comissão
Vereadores que integram a comissão

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que apura denúncia de possíveis irregularidades na administração municipal no combate à pandemia em Conselheiro Lafaiete deve demorar mais algum tempo para terminar. Isto porque o volume de informações que está sendo analisado é grande.

O vereador André Menezes (PL), comentou sobre o assunto nesta terça-feira (03/08) durante o retorno aos trabalhos da Casa Legislativa, que ficou em recesso no mês de julho: “Com relação ao Plano Nacional de Vacinação, ele está sendo analisado, cruzando dados e ainda não sei falar se achou alguma irregularidade. Quando começamos a CPI houve uma denúncia de falta de medicamentos padrão para tratamento de Covid, no caso o Kit intubação e também de equipamentos no Hospital de Campanha. Há indícios sim de que houve falta de medicamentos e equipamentos. Indícios que estamos apurando para ver porque que aconteceram certas coisas”, disse o presidente da CPI.

André Menezes preside a CPI
André Menezes preside a CPI

André Menezes também destaca que há mais irregularidades sendo investigadas durante os trabalhos: “A gente tem um indício que diz que há cinquenta bombas de infusão no município e um outro ofício da gerente do Hospital de Campanha, que foi até demitida, [que diz que] só tem 26, inclusive com duas ou três bombas com defeito”.

O vereador aponta que cerca de 7.800 páginas de documentos já foram reunidas durante toda a investigação, com isso, será necessário um prolongamento da CPI.

Oitivas

É grande o volume de comentos analisados
É grande o volume de comentos analisados

André Menezes, que chegou a cogitar não ouvir mais depoimentos, falou na possibilidade de rever a decisão. “Eu disse em uma coletiva de imprensa que eu não iria fazer mais oitivas com a presença do Procurador, mas chegamos a um consenso de que não importa mais. Pode estar quem quiser, se os vereadores decidirem, a gente pode abrir até para o público. Tem pessoas questionando que o sigilo que colocamos seria inconstitucional, mas não é. Fizemos isso porque é denúncia. A gente não sabe se tem fundamento, envolve o nome de pessoas e a gente não poderia abrir a CPI e colocar o nome de pessoas na mídia […]”. Por força de Liminar, o Procurador Municipal, Cayo Noronha tem direito de acompanhar os depoimentos.

O relatório parcial da CPI, divulgado no dia 17 de junho, apontou denúncias graves e suspeitas de diversas irregularidades. Durante sessão da Câmara Municipal no dia 13 de julho, André Menezes confirmou que as informações levantadas foram encaminhadas para a Polícia Federal.

Também há denúncias de  perseguição à pessoas que já prestaram depoimento à Comissão Parlamentar de Inquérito.

 

Fato Real