Fato Real
Lafaiete Política

Vereador propõe criar CPI do transporte público de Lafaiete

Durante a sessão da Câmara desta terça-feira (27/04), o vereador Pedro Américo (PT) apresentou uma proposta para abertura de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do transporte público de Lafaiete. 

Para que o projeto de CPI seja aprovado, Pedrinho precisa que mais vereadores assinem o requerimento
Para que o projeto de CPI seja aprovado, Pedrinho precisa que mais vereadores assinem o requerimento

A cidade enfrenta grave crise no setor e não tem mais o serviço de transporte coletivo prestado por uma empresa de ônibus. Sem renovação com a Viação Presidente e um processo de licitação em andamento, atualmente o serviço é prestado emergencialmente pelas vans escolares.

Pedrinho falou sobre as críticas que os políticos recebem na atuação na crise do transporte público: “ A gente fica indignado de ver tantas reclamações e nós mesmo não podemos fazer nada. A gente fica falando, cobrando, falando palavras bonitas, mas isso não está resolvendo. O povo está criticando muito todos os políticos, e nós somos políticos, aí nós temos que tomar uma decisão mais séria.  Eu já não aguento mais ver o pessoal falar que todo político é safado e desonesto, que Lafaiete não tem prefeito, não tem vereador e que um fica esperando o outro”.

Em sessões anteriores diversos vereadores criticaram a situação do transporte coletivo em Lafaiete, estendendo até ao prefeito Mário Marcus, que chegou a ser apontado como “omisso” no caso . Com a proposta de Pedrinho, agora, porém, eles têm a decisão da criação ou não de uma CPI.

Requerimento

O requerimento depende de cinco assinaturas para ser protocolado na Casa Legislativa. Se alcançar as cinco adesões de vereadores, em plenário, a aprovação dependerá ainda de sete votos favoráveis, para então ser criada a CPI.

Situação dos ônibus em Lafaiete se arrasta há meses
Situação dos ônibus em Lafaiete se arrasta há meses

Pedrinho comentou a proposta e pediu o apoio dos demais membros da Casa Legislativa: “Se algum vereador quiser assinar comigo, estou às ordens. Não estou afrontando o prefeito, é obrigação nossa fazer isso. A gente não consegue nem dormir tranquilo se não fizer nossa parte. Eu peço aos companheiros que quiserem assinar comigo, eu estou com o requerimento em mãos, está pronto. Sozinho eu não posso” pontua.

Até o fechamento desta edição, segundo Pedrinho, nenhum outro vereador tinha assinado o requerimento. Como a proposta foi apresentada na sessão de ontem à noite, é possível que o cenário mude.

 

Fato Real