Fato Real
Destaque Lafaiete

Vans escolares começam a fazer o transporte coletivo em Lafaiete

Motorista Marlene de Oliveira, explica funcionamento do serviço à Adilson, um dos passageiros
Motorista Marlene de Oliveira explica funcionamento do serviço à Adilson, um dos passageiros

Lafaiete, que já está há duas semanas sem a prestação de serviço de transporte público coletivo por causa da paralisação dos serviços da Viação Presidente, ainda tem dúvidas sobre como será o funcionamento do transporte realizado pelas vans escolares.

O decreto prevê a utilização de veículos de transporte escolar, já cadastrados no Município, para realizar o serviço de maneira emergencial. A lista de classificação com os veículos autorizados a prestar o serviço está disponível no site da Prefeitura de Lafaiete desde domingo (04/04). Ela pode ser acessada aqui.

Algumas vans escolares começaram a rodar nesta segunda-feira (05). Elas já estão cobrando a tarifa nova de R$3.60.  O recebimento é apenas em dinheiro não ocorrendo a liberação do uso dos cartões, mesmo que carregados com créditos.

Os veículos que prestarão o serviço de maneira emergencial terão suas rotas identificadas no para-brisa através de um adesivo. As reuniões que marcam a distribuição das rotas acontece ao longo do dia.  

O proprietário de van escolar e presidente da Sintesc (Sindicato dos Transportadores Escolares), Carlos Eduardo Campos,  pontua que não deve haver um cobrador auxiliando o motorista, mas que a decisão ficará para cada condutor decidir individualmente: “É um transporte emergencial, em torno de 45 dias mais ou menos. A cidade está na Onda Roxa, ou seja, não tem demanda de passageiros que tornem esse serviço lucrativo ou com uma receita considerável. Pelo contrário, sabemos que pode haver a falta de passageiros. Talvez tenhamos durante o horário de pico, mas no resto do dia não. Então não sei se os operadores terão condições financeiras de manter alguém auxiliando”.

Carlos Eduardo ainda pontua que as vans não trabalharão com o recebimento de cartão, também por se tratar de um serviço prestado de maneira emergencial haverá apenas o recebimento em dinheiro.

A equipe do Fato Real esteve no terminal rodoviário pela manhã, onde usuários reclamaram da baixa quantidade de vans disponíveis. Passageiros denunciaram que estavam há mais de 1 hora e 15 minutos aguardando pelo transporte. Apesar dos veículos estarem autorizados a rodarem a partir desta segunda-feira, a maioria deve colocar os carros nas ruas a partir de amanhã, terça-feira.

Vereador Renato Pelé esteve no terminal para ver como estava o funcionamento do serviço
Vereador Renato Pelé esteve no terminal para ver como estava o funcionamento do serviço
Fato Real