Fato Real
Lafaiete

Lafaiete vê crescimento de morcegos transmissores de raiva e convoca veterinários à vacinarem-se

A Secretaria de Saúde de Conselheiro Lafaiete emitiu nota no início da tarde desta terça-feira (11/01) informando que a cidade vem notando um crescente número de colônias de morcegos. Algumas espécies destes animais são os principais reservatórios e transmissores da raiva. 

A raiva é um é uma zoonose (doença comum aos seres humanos e animais) de caráter infeccioso que é causada por um vírus do gênero Lyssavirus. Esse vírus é capaz de comprometer gravemente o sistema nervoso central, e por isso, a raiva é considerada uma doença grave, com um alto nível de letalidade. A transmissão da raiva ocorre quando os vírus da raiva existentes na saliva do animal infectado penetram no organismo através da pele ou de mucosas, por meio de mordedura, arranhadura ou lambedura. 

A nota ressalta que os morcegos são animais silvestres protegidos pelas leis federais de proteção ao meio ambiente 5.197/67 e 9.605/98, sendo que a caça, apanha e morte dos mesmos são considerados crimes ambientais.

Vacinação

Considerando a gravidade da doença, a Prefeitura convocou os médicos veterinários do município a colocarem em dia a vacinação contra a raiva. A imunização pode ser feita Central de Vacinação Municipal (na avenida Dom Pedro II, 178, São Sebastião) e na na Policlínica Municipal (situado na avenida Mário Rodrigues Pereira, 175, centro), em casos de acidentes envolvendo mordedura e arranhadura de animais.

O médico veterinário deverá estar com sua Carteira de Registro no Conselho de Medicina Veterinária, cartão do SUS e cartão de vacina. Em caso de já ter realizado algum protocolo de vacinação antirrábica anteriormente, deverá fazer a sorologia e apresentá-la para aplicação do protocolo correto.

A Prefeitura alerta que se faz necessário que os veterinários reforcem os cuidados com relação a utilização de EPIs em casos de animais suspeitos para a doença. A Secretaria de Saúde ainda destaca que a raiva é uma doença de notificação obrigatória e que deve ser realizada imediatamente ao Centro de Controle de Zoonoses quando diagnóstico confirmado para raiva de qualquer animal, seja ele de grande porte, pequeno porte, silvestre. 

Fato Real