Fato Real
Lafaiete

Comunidades de escolas que podem passar por municipalização se manifestam contra o processo hoje em Lafaiete

A possibilidade de municipalização de escolas estaduais segue sendo pauta de discussões em Conselheiro Lafaiete. Na última semana, o Fato Real trouxe uma matéria em que mostrava a insatisfação da comunidade escolar do Pacífico Vieira frente a esta possibilidade.

Comunidade do Pacifico Vieira já se manifestou anteriormente contra o processo
Comunidade do Pacifico Vieira já se manifestou anteriormente contra o processo

Por meio do projeto Mãos Dadas, o Estado repassa recursos para as prefeituras assumirem a gestão do ensino fundamental. Mas as Câmaras Municipais precisam aprovar um projeto de lei para formalizar a adesão a essa iniciativa. Em Lafaiete, o projeto está para ser votado pelo Legislativo. Segundo alguns dos professores há falta de transparência na discussão sobre essa mudança, a preocupação com a qualidade do ensino, além da possibilidade da perda de postos de trabalho.

Waldir Manoel Milagres, vice-diretor da instituição, conversou com o portal naquela oportunidade e manifestou sua indignação com a situação. Segundo ele, as reuniões que estão acontecendo não contemplam os principais impactados pelo projeto: a comunidade escolar e os trabalhadores da educação. Segundo ele, a impressão que fica é que as coisas estão sendo feitas por “debaixo dos panos” para que a população aceite a mudança.

Além do Pacífico Vieira, outras instituições estaduais de Lafaiete podem passar pelo mesmo processo: Marechal Humberto de Alencar Castello Branco, General Oswaldo Pinto da Veiga e Professora Maria Augusta Noronha.

Pouco tempo depois, o Fato Real ouviu o prefeito Mário Marcus (DEM) sobre a situação. Segundo ele, esse é um projeto do governo estadual e que ainda estão acontecendo negociações para que a situação seja definida. No entanto, o mandatário afirmou que, se a municipalização acontecer, não haverá nenhum prejuízo para os alunos e servidores.

Mário Marcus salientou que não haverá prejuízo caso o processo avance
Mário Marcus salientou que não haverá prejuízo caso o processo avance

Nova manifestação

A justificativa do mandatário não parece ter convencido os profissionais de educação das escolas que podem passar pelo processo. Isto porque está marcado para esta quinta-feira (23/06) uma nova manifestação.

Integrantes das escolas Pacífico Vieira, Castelo Branco e General Pinto da Veiga organizaram uma carreata saindo do “Pacífico” no bairro São Sebastião em Conselheiro Lafaiete a partir das 19h.

Fato Real