Fato Real
Gerais

Morre Maria Trindade da Costa Vitória Rodrigues

Faleceu neste sábado 10/04 Maria Trindade da Costa Vitória Rodrigues. Trindade, como era conhecida é definida como uma mulher forte, alegre e poderosa. Sua vida inspirou o cineasta Rodrigo Meireles que contou sua trajetória no documentário que leva seu nome.

Trindade faleceu aos 75 anos, vítima de um câncer. Entre todos os fatos marcantes de sua vida, registra-se  ter sido a primeira mulher lafaietense a ingressar no AA (Alcoólicos Anônimos) onde após também desenvolveu trabalho voluntário. “Ela recebeu no mês passado sua 45ª medalha dos Alcoólicos Anônimos. A primeira em formato de estrela. Mulher forte, alegre e poderosa, inspirou muitas pessoas de nossa cidade, inclusive eu. Vai deixar muitas saudades! Agradeço imensamente a sua existência e fico muito honrado de ter feito um filme contando um pouco da sua história”, comentou Meireles.

O filme ficará liberado por alguns dias para quem quiser conhecê-la um pouco melhor.

Trindade

A história de Trindade está nas telas de cinema.Foto/Fernando Baeta
 A história de Trindade está nas telas de cinema.Foto/Fernando Baeta

Trindade, a personagem que encerra a trilogia, é uma mulher que fez da religião arma pacífica para vencer o preconceito, a opressão e o vício do alcoolismo. Quem falou sobre a terceira parte da trilogia de curtas-metragens que projetam variados aspectos da vida em Conselheiro Lafaiete na tela do cinema é o próprio Rodrigo Meireles, diretor do documentário: “Logo no começo do filme, o público é apresentado a uma mulher negra, já idosa – na faixa dos setenta e poucos anos. Nossa sociedade ainda cultiva um racismo latente, embora disfarçado, onde a gente finge viver em um país miscigenado. Só pelo fato de ser uma mulher negra, Trindade já carrega consigo uma preciosa bagagem de história e ancestralidade marcada pela escravidão a que seus antepassados foram segregados e cuja abolição por completo não aconteceu até hoje, em pleno terceiro milênio”.

Trindade e Meireles – Personagem e diretor. Foto/Fernando Baeta

Para Rodrigo Meireles, Trindade é o perfeito estereótipo da mulher brasileira, lutadora, simples e do povo. Ao longo da vida, esta moradora de Conselheiro Lafaiete sofreu na pele a dor da discriminação por ser negra e haver se prostituído. Como fuga, tentou se refugiar no álcool. Porém, católica que sempre foi e devota fiel da Santíssima Trindade, encontrou o verdadeiro acolhimento na religião, que a acolheu e contribuiu decisivamente para que se reerguesse e resgatasse a própria dignidade, firmando-se como exemplo de resiliência, amor e fé que enche de orgulho os filhos, netos e bisnetos. Tanto, que a família compareceu em peso para prestigiar o lançamento do filme que conta a história de sua vida.

Familiares de Trindade, participantes e colaboradores do filme

Foi este legado que o cineasta Rodrigo Meireles buscou eternizar na tela do cinema: “Acho que, hoje em dia, é importante fazer o filme de uma personagem como Trindade, uma pessoa aparentemente anônima, por quem as pessoas talvez passariam sem prestar atenção, mas que tem tanta experiência a compartilhar. Fazer este filme na conjuntura atual, em que parecemos estar vivendo uma guerra de classes sociais e muita gente que se diz cristã fecha os olhos para o próximo, foi quase uma missão dada a mim, que fui um mero instrumento para que o projeto se realizasse. O resultado de nosso trabalho já está em exibição e tenho certeza de que Trindade vai ajudar muita gente com sua história e seus depoimentos”, declarou o cineasta.

Clique aqui e assista ao teaser do filme.

Fato Real