Fato Real
Destaque Lafaiete

Servidores fazem protesto em frente à prefeitura de Lafaiete

Funcionários públicos municipais voltaram a protestar publicamente em Conselheiro Lafaiete nesta quarta-feira 11/02. É o segundo ato, coordenado pelo Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Conselheiro Lafaiete, em apenas cinco dias.

Servidores reivindicam pagamento do piso da categoria
Servidores reivindicam pagamento do piso da categoria

Ontem um grupo de servidores de diversos setores esteve próximo à prefeitura, reivindicando direitos e condições para trabalhar. Os manifestantes proferiram diversas palavras de ordem e pediram ao prefeito Mário Marcus (DEM) respeito pelo funcionalismo público e cumprimento de seus direitos trabalhistas.

Valdney Alves é o presidente do SINSERLAF
Valdney Alves é o presidente do SINSERLAF

Ao longo da semana, Valdney Roatt Delmaschio Alves, presidente do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Conselheiro Lafaiete (SINSERLAF) já havia falado sobre o assunto. Em vídeo no canal Youtube o sindicalista, disse saber que a verba empregada na reforma da fonte luminosa da Praça Tiradentes (local da manifestação da semana passada), é específica para a obra, oriunda do Fundo Municipal de Patrimônio Cultural e enalteceu o trabalho do secretário de Cultura Geraldo Lafayette.  Na sequência, ele aprofundou nas questões relacionadas à classe e suas reivindicações.

Ontem, o presidente do sindicato que representa a classe, voltou a narrar dificuldades de um diálogo com a administração municipal, que segundo ele, nestes cinco meses de 2022 não obteve sucesso. Em entrevista ao Jornal Falado Carijós que foi ao ar nesta manhã de quarta-feira, Valdney relatou que entre as reivindicações está o reajuste do vale-alimentação dos atuais R$350,00 para R$550,00 “Seriam 50 reais por cada um dos 4 anos sem reajuste”, explicou. Os servidores reivindicam ainda o pagamento do piso nacional da educação, e recomposição salarial.

Funcionários fazem segunda manifestação em menos de uma semana
Funcionários fazem segunda manifestação em menos de uma semana

Entre as denúncias da falta de estrutura o sindicato diz que trabalhadores muitas vezes gastam do próprio bolso para comprar matérias básicos para desempenho de suas funções, trabalham em locais sem estrutura adequada, usam uniformes rasgados. O sistema de informatização é precário.

Diante de um cenário em que falta o básico, os servidores são xingados e rotulados pelos cidadãos que não têm um bom atendimento, esclarece Valdney Roatt Delmaschio Alves.

Administração

Valdney e Marco Antônio conversaram
Valdney e Marco Antônio conversaram

Alguns manifestantes afirmaram ontem que buscam respeito e diálogo, o que não estariam encontrando na Semed. Alguns relataram a falta de acesso ao secretário municipal de Educação, Albano Tibúrcio.

A administração municipal não se pronunciou publicamente, nem junto à imprensa sobre as recentes manifestações.

Quando deixava a sede da prefeitura, o vice-prefeito Dr. Marco Antônio conversou com o presidente do sindicato. Reconheceu que a manifestação é um direito do trabalhador, que iria buscar intermediar uma reunião com o prefeito, mas não quis gravar entrevista.

Colaboração e fotos: Mariana Marques.

N.R: Matéria atualizada as 20h20.

Fato Real