Fato Real
Coluna Vou Falar - por Aaron Fenix

O que é ser cringe mesmo?

Surgiu nas últimas semanas na redes sociais um tal de CRINGE. A palavra virou centro de ‘guerra geracional’ e expôs as supostas diferenças entre millennials ( os mais velhos) e a geração Z ( os mais jovens). O assunto estourou de vez após um tuíte de Carol Rocha, publicitária e apresentadora de podcast, pedindo para a geração Z listar os hábitos que achava cringe nos millennials.

Foi aí que eles se sentiram à vontade para criticar uma série de comportamentos, roupas, séries, filmes, livros e costumes.Eles enumeraram alguns hábitos e gostos que para eles são a “vergonha alheia” e dentre eles estão: tomar café da manhã, tomar café no geral, falar litrão ou boleto, usar calça skinny, assisitr filmes da Disney; partir o cabelo de lado, usar sapatilha de bico redondo, rir com emoji ou rs, gostar de “Friends” ou “A Usurpadora” e ser saudosista.

Para colocar mais lenha na fogueira ou uma pedra sobre essa discussão a Psicanalista e Neurocientista Andrea Vermont, usou também as redes sociais para explicar aos jovens o que é realmente ser Cringe e eu não poderia deixar de compartilhar essa explicação já que me enquadro na geração Millennials. Ela disse assim:

“Na verdade CRINGE é uma gíria do inglês americano que, na verdade traduzido quer dizer vergonha alheia. Aqui no Brasil a gente poderia chamar como coisa do tipo brega, que está fora de moda, que não está dentro dos costumes atuais. E essa expressao CRINGE vem sendo usada pelos nossos jovens e adolescentes por aquilo que eles chamam de geração Z, as pessoas nascidass entre 1995 e 2000. E eles resolveram que os comportamentos e os hábitos das gerações anteriores são coniderados CRINGE, ou seja, brega, vergonha alheia. Os hábitos dos pais, dos tios, dos avós , que isso é vergonha, que isso é brega.

Então passo a explicar para esses jovens da geração Z o que é realmente CRINGE.
CRINGE é ter 20 anos e agir como se tivesse 7. É comprar um Iphone 12 Pró Max e morar numa casa que não tem nem rebôco. É fazer tutorial de maquiagem, mas não saber nem lavar a roupa intima. É escrever textão no facebook, no instagran, com altas manifestações políticas e não saber nem conversar, não saber ortografia, não saber usar um verbo no infinitivo. CRINGE é ler resumo de livro para prestar vestibular. É nunca ter lido um Machado de Assis. É não aprofundar-se em teorias. É saber sobre tudo e ao mesmo tempo não saber de nada porque o “tudo” que sabem é medianamente. É se fazer de Socialista e não conseguir dividir nem o controle remoto da televisão, porque não sabe nada a respeito de viver vida comunitária. É aquele que quer bancar uma porção de coisas, mas não banca a arrumação do próprio quarto. CRINGE é bancar que tem dó dos cães, e entrar para o GreenPeace, em projetos sociais de proteger as baleias, mas não tem a menor empatia e educação nem com os próprios pais.

É o que essa geração Z está vivendo e achando que está muito bonito. Nós das geração MILLENNIALS somos cringe sim, porque nossa geração ralou muito. Somos a geração que inventou a tecnologia, mas que teve que se adaptar a ela. Somos a geração que nasceu assistindo Tom e Jerry, mas temos regras, temos respeito para com nossos pais e pessoas mais velhas.Somos Cringe mas começamos a trabalhar aos 14 anos e aos 18 já bancávamos as nossas contas.Somos uma geração que batalhou muito para estudar e que desejou estudar e se sente muito orgulhosa por isso.

Na realidade meus caros jovens e adolescentes nós somos da geração WINNER, uma geração VENCEDORA, porque nós escrevemos a nossa história e nós bancamos por ela. O dia que vocês jovens, escreverem a história de vocês e se bancarem, ai vocês também serão CRINGE”.
Fica a dica!

Tô Sabendo e Vou Falar
Aaron Fênix

Fato Real